Administração intuitiva versus administração técnica

Photo by Patrick Perkins on Unsplash

“Não podemos aprender nada de novo até que possamos admitir que ainda não sabemos de tudo.“

Erwin G. Hall

    Entre as micros, pequenas e até mesmo algumas médias empresas brasileiras ainda é dominante a administração feita apenas com base na intuição, ou em conhecimentos baseados em experiências anteriores. É comum frases como: sempre fiz assim, e a empresa continua caminhando.

    Porém será que ela segue um caminho tranquilo, previsível e sempre para a frente? Ou será que ela vai tropeçando no trajeto, com idas e vindas?

    Infelizmente o mais comum é as empresas seguirem caminhos tortuosos. Alguns empresários, por falta de controle financeiro, só percebem que a empresa está quebrada depois de muito tempo, quando o estrago na sua vida financeira já é grande.

    Isso acontece com frequência, principalmente quando o proprietário da empresa tem mais de uma fonte de renda, misturando as entradas e saídas de dinheiro pessoais com as da empresa. Há casos em que, mesmo após anos com o negócio, o proprietário não sabe exatamente se ele gera lucros e quanto.

    Esse quadro vem mudando aos poucos, com a facilidade e redução de custo no acesso a informações e ferramentas de gestão. Faculdades, entidades como o Sebrae e toda a informação livre existente na internet ajudam a disseminar o conhecimento. Softwares gerenciais estão cada vez mais baratos, por vezes até gratuitos.

    Porém a mudança tem sido lenta e incapaz de fazer frente a novos desafios, como por exemplo o aumento da concorrência. A internet que traz mais informações também traz a concorrência de qualquer lugar, até do outro lado do mundo, para perto.

    Para seguir um caminho rumo ao crescimento, com passos largos e firmes, o empresário deve administrar a empresa com base em conhecimentos formais. Sua intuição e experiência sempre serão importantes. Mas devem ser alinhadas a ferramentas administrativas.

    Imagine um escultor sem ferramentas. Ele no máximo fará peças de barro, nunca irá esculpir o mármore. E mesmo no caso das peças de barro, sem um forno para a queima, essas peças poderão ter vida limitada.

    Não deixe o futuro da sua empresa e sua vida financeira nas mãos do acaso. Adquira conhecimentos, utilize ferramentas de gestão e saiba exatamente se sua empresa está andando para a frente, de lado ou para trás.